CAPA


          O Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor (CAPA), é uma organização não governamental, criada em 1978, a partir de comunidades da IECLB. O CAPA busca contribuir de forma decisiva para a prática social e de serviço junto a agricultores familiares e outros públicos ligados à área rural.
          Mais especificamente, a proposta do projeto CAPA nasce a partir de uma preocupação da Igreja com os pequenos agricultores, em núcleo familiar, que estavam sendo dominados pelo sistema de agricultura industrial. Não tendo condições de competir economicamente, estavam vendendo suas propriedades e procurando nas cidades alternativas de trabalho. Neste sentido o CAPA promove o Evangelho ao trabalhar com populações que, de certa forma, foram excluídas ou estavam à margem do sistema econômico.
          Em sua atuação, visa afirmar a agricultura familiar como parte de uma estratégia de desenvolvimento rural sustentável. Defende que o respeito à diversidade – biológica, cultural, étnica e religiosa – é fundamental para a manutenção da vida e para a construção de independência e de autonomia.
          O trabalho do CAPA está organizado através de 5 núcleos:
1) Erexim-RS,
2) Marechal Cândido Rondon-PR,
3) Pelotas-RS,
4) Santa Cruz-RS e
5) Verê-PR.
          O CAPA núcleo Verê- PR trabalha com agricultores familiares organizados em associações e cooperativas que estão voltadas para a produção agroecológica de alimentos. Seu eixo de atuação abrange diversas cidades do Sudoeste do Paraná: Verê, São Jorge D’Oeste, Itapejara D’Oeste, Marmeleiro e Ampére, Boa Esperança do Iguaçu, Cruzeiro do Iguaçu, Dois Vizinhos, Nova Prata do Iguaçu, Salto do Lontra, Francisco Beltrão, Pato Branco, São João, Coronel Vivida, Santa Izabel D'Oeste, Realeza, Chopinzinho, Enéas Marques, Nova Esperança do Sudoeste e Planalto.

Para saber mais informações sobre o CAPA, acesse o portal oficial:


Postagens mais visitadas deste blog

DIA PAROQUIAL DAS CRIANÇAS NA COMUNIDADE PRESIDENTE KENNEDY - VERÊ

IV Dia Sinodal da Igreja do Sínodo Rio Paraná

CONTAGEM REGRESSIVA PARA OS 500 ANOS DA REFORMA LUTERANA