Como foi o Dia da Igreja?


Tudo começou bem antes... Dias, semanas e até meses antes. Primeiro as lideranças começaram a sonhar e pensar o Dia da Igreja. Depois foi decidido o local aonde iríamos nos encontrar. Posteriormente foi pensado no programa do dia. Algumas lideranças fizeram contatos com os grupos que iriam contribuir nas celebrações e atividades. O Palestrante também foi convidado. A partir destes primeiros passos as comunidades foram sendo motivadas e animadas para se envolverem, mobilizarem e participarem ativamente deste especial evento.

Várias comissões foram trabalhando com cada vez mais afinco. Os membros da Casa de Formação, por exemplo, trabalharam com constância na organização e estrutura para o evento. Cada detalhe foi cuidado com muito carinho: alimentação, limpeza, organização do espaço para a celebração, a convivência e o passa-dia. Os ministros Mário e Jânio preparam o programa. Durante os últimos dias estiveram correndo atrás de cada detalhe para promover as atividades. O Pastor Sinodal, entre suas atividades, preparava uma importante contribuição com a palestra sobre o Tema do Ano 2013. Em cada Paróquia e Comunidade as lideranças estavam organizando a participação dos membros.

Aos poucos as Comunidades e Paróquias foram confirmando a presença. Os preparativos se intensificaram. As demandas aumentaram. Opa, e o trabalho com crianças? Vai ter? Sim! As crianças também teriam o seu momento especial. E assim as coisas foram se moldando para termos o nosso tão importante Dia da Igreja.

E, no Domingo de Pentecostes, bem cedo, as comunidades foram se achegando dos quatros cantos do sudoeste do Paraná para o Dia da Igreja. Elas foram acolhidas com muito carinho pelo Coral Bom Pastor de Curitiba e pelo Grupo de Canto “Canto em Canto” de Pinhais. O Pastor Mário conduziu a abertura oficial. A palestra foi realizada pelo Pastor Sinodal Lauri Becker. Durante o dia tivemos apresentações culturais, momentos de descontração, atividades com as crianças e os jovens, um delicioso almoço e muita convivência.

Nosso Dia da Igreja foi encerrado com uma gratificante e inspiradora Celebração Eucarística. Todos participaram ativamente deste dia. Somos gratos a Deus que nos dá a oportunidade de SER, PARTICIPAR, TESTEMUNHAR: viver comunidade!

VEJA TODAS AS FOTOS:

CAPA do Verê recebe visita de Engenheiro Agrônomo da Zâmbia (África)


No ultimo dia 25 de abril o Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor - CAPA Verê recepcionou o Eng. Agrônomo Sebastian Scott da Zâmbia, juntamente com o professores da UTFPR Campus Dois Vizinhos - PR.

Sebastian é agricultor orgânico, membro fundador da ONG “Grassroot trust” e consultor da ONG “Low Input Farming Technology” (LIFT), que auxilia 100.000 agricultores familiares no seu país. Filho do vice-presidente do país africano, Sebastian veio ao Brasil por intermédio do Iapar, a convite do Pesquisador Ademir Calegari, em busca de informações e tecnologias para melhorar a realidade da agricultura familiar de seu país.

O Engenheiro Agrônomo conheceu a estrutura do CAPA bem como sua forma de atuação na região. Trocou experiências teóricas com os técnicos, em seguida visitou a propriedade agroecológica do produtor Décio Cagnini.      Na visita Sebastian observou práticas agroecológicas de produção de frutas e hortaliças, como é realizado seu manejo, além de ferramentas básicas utilizadas para facilitar o dia a dia das famílias produtoras de alimentos. Comentou que pretende utilizar inclusive essas ferramentas/tecnologias com os agricultores da Zâmbia.

Sebastian também ministrou uma palestra aos acadêmicos da UTFPR-DV sobre a realidade social, econômica e cultural da Zâmbia, bem como das potencialidades agrícolas. Conheceu algumas pesquisas das áreas agronômicas e zootécnicas, alem de outras propriedades familiares da região.


Encontro Paroquial da OASE


O dia 1º de maio foi uma data muito especial para as mulheres da Paróquia de Pato Branco. Neste dia aconteceu o Encontro Paroquial da OASE. Durante todo o dia estiveram reunidas cerca de 80 mulheres na comunidade de Bugre Alto -  a anfitriã do evento.

O Pastor Mário conduziu a reflexão sob o tema “Comunhão – Testemunho – Serviço: Eu vivo OASE”, apontando para ações bem concretas. Surgiram perguntas desafiadoras como: O que podemos fazer para que mais pessoas participem da comunidade e grupo? Como podemos envolver melhor as mulheres que já participam, e ainda, alcançar outras além do grupo?

Por meio da base bíblica de Atos 2.42-47 e Romanos 12.4-5 refletiu-se sobre a missão de ser igreja, e igualmente de ser OASE. Os primeiros cristãos tinham uma íntima comunhão com Deus e com os irmãos e irmãs na fé. A comunhão provocou envolvimento e participação. Prevaleceu uma participação ativa de solidariedade diante de necessidades alheias. Eles “perseveravam nos ensinamentos dos apóstolos, na comunhão, no partir do pão e nas orações”. Procuravam fazer diferença também para além do grupo. A participação dos primeiros cristãos dava entendimento que eles formavam um “corpo” que se movimenta a partir da contribuição de cada membro.
 
Nesta linha de reflexão, o Apóstolo Paulo compara os membros da igreja como membros de um “Corpo”. A Palavra bíblica lembra que a igreja, comunidade, grupos, como a OASE, são formados por membros chamados/as a participar, cooperar, servir a partir dos dons que receberam.

Considerando os textos de Atos e Romanos, podemos entender que uma comunidade ou grupo, formado por pessoas diferentes, somente caminha bem quando todos/as se movimentam e colaboram entre si. O movimento e a colaboração está diretamente ligado ao tema: “Comunhão, Testemunho, Serviço: Eu vivo OASE”.

Surgiu ainda, uma outra pergunta refletida e discutida em grupos: O que podemos fazer como grupo de OASE ou comunidade para contribuir principalmente na missão do “serviço”?

A avaliação e planejamento sobre o jeito de ser OASE ficou muito enriquecida, principalmente sobre a prática do “serviço”. No encontro foi lembrado que Deus nos confiou uma missão que vai muito além do grupo. Uma missão que vai para além dos “muros”. Deus, por meio da sua Palavra, continua chamando pessoas, tocando vidas para que entendam o sentido de ser membro e ajudem com ações solidárias. Ações que vão fazer muita diferença para quem a faz, mas principalmente para quem a recebe.

O Tema desenvolvido teve o objetivo de animar a fortalecer os grupo e membros de comunidades a criar novas maneiras de servir, oferecendo oportunidades envolventes, para que todos/as contribuam com seus dons.

A vida do grupo revela a riqueza da diversidade existente sem abrir mão da importância da comum-união destacando que Jesus Cristo é o alvo, o centro, na vida do grupo e comunidade. Cristo é o Senhor da igreja. Nele existimos e resistimos. Confiamos que Deus vai ajudar na ação do Espírito Santo a fortalecer e ampliar a Comunhão, Testemunho e Serviço, a contribuir com toda a riqueza de dons, de maneira que todos/as digam com alegria: “Eu vivo OASE”.

Durante a tarde tivemos brincadeiras, jogos de integração e momentos importantíssimos de comunhão. Foram eleitas e instaladas a Coordenadora e Vice-Coordenadora Paroquial da OASE para uma gestão de 2 anos.

Agradecemos à Comunidade de Bugre Alto que nos acolheu com muito carinho em suas dependências. Agradecemos também ao Grupo de Jovens da Comunidade que animou o encontro com músicas e dinâmicas.

Confira alguns vídeos das dinâmicas e jogos recreativos:



Dia de Comunidade em Marmeleiro


Neste último Domingo, dia 28 de abril, a Comunidade de Marmeleiro celebrou o Dia de Comunidade.

Desde bem cedo os membros foram se achegando, preparando o espaço litúrgico para celebrar seu culto e arrumando as coisas para o posterior almoço. O culto especial para o Dia de Comunidade foi celebrado pelo Pastor Mário. Após a celebração litúrgica, foi preparado um saboroso almoço comunitário. Cada família trouxe um pedaço de carne, alguma salada e outros itens. Juntos partilharam de uma mesa rica comum!

Após o almoço, convivemos, fizemos brincadeiras e jogos de integração. Vivenciamos a alegria de viver a vida em Comunidade. Por este motivo, damos graças a Deus que nos chama para Ser, Participar e Testemunhar na vida de fé.

O Dia de Comunidade é um projeto em favor da comunhão da igreja. Tem sua motivação a partir do PAMI (Plano de Ação Missionária da IECLB). Em nossa Paróquia as Comunidades são motivadas para que pelo uma vez ao ano (ou duas) realize um momento para a Comunidade se encontrar e vivenciar a comunhão de fé. A Comunidade de Marmeleiro adotou esse projeto e decidiu que nos meses em que o culto for celebrado em hora matutina, sempre fará almoço comunitário e Dia de Comunidade.

Que Deus abençoe esta iniciativa evangelizadora, missionária e promotora da comunhão da igreja!