Educação - a solução de Jesus


Jesus, com seus discípulos, instruía as pessoas, isto é, as educava com o objetivo evidente de fomentar condições de vida saudável para o corpo e para a mente (Lc 8.1; Lc 10. 1-11).
       Aproveitando os exemplos bíblicos, nos relatos dos evangelistas é testemunhado que quando Jesus cura alguém, o contexto da cura sempre está envolto em um processo de transformação da mente das pessoas. As curas de Jesus não se limitam a um simples e puro curar da carne. Ele não apenas faz um curativo nos machucados físicos. Jesus faz isto sim, mas vai além. Ele e seus seguidores (colaboradores), em verdade, realizam um importante processo de educação para uma vida plena. Quando Jesus cura e perdoa, ele faz questão de dizer, quase sempre, a mesma frase: “a tua fé te salvou”. Os textos de Mt 9.22; Mc 10. 52; Lc 17. 19 são alguns exemplos desta afirmação.
       Diante disto, cabe a pergunta: o que será que Jesus quer dizer com isso? A pessoa que precisa de cura e saúde, seja ela física ou psicológica, necessita de mudanças e transformações em sua vida. Quem tem fé acredita na mudança de vida, e busca transformar sua realidade em cada gesto que faz. Isto é o que Jesus fazia, na medida em que auxiliava as pessoas a encontrar alternativas para viver melhor, para ter mais saúde e mais condições de vida.
       De tal maneira, nós, pessoas cristãs, somos membros importantes no processo libertador e evangélico onde a educação para uma vida melhor é central. Em nossos relacionamentos, por meio da fé em Cristo Jesus, temos a tarefa de transformar o modo de vida. Nossas relações sociais devem privilegiar a educação constantemente.
     Convivendo a partir da fé em Cristo, por meio da confessionalidade luterana, podemos encontrar alternativas para mudar algumas posturas e adquirir uma vida mais saudável e plena.

 “Aconteceu, depois disto, que andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do Reino de Deus, e os doze iam com ele.” Lc 8.1
PPHM Marcelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário